Treinamento não pode ser “goela abaixo” – crie interesse!

A chave para o sucesso do treinamento é o interesse do aluno

Qual é a melhor forma de treinar seus funcionários? Infelizmente, na maioria dos casos planejar treinamento é como perguntar qual é a melhor forma de administrar um remédio – “o mais rápido e indolor possível”. Por que? Porque na maioria dos casos, o fator principal não é levado em conta: Interesse!

Treinamento tem gosto ruim

Por que remédio para criança tem (ou pelo menos tentam colocar) gosto bom? Porque criança não entende a necessidade, só vai tomar se for bom – ou se for forçada. No treinamento é mais ou menos a mesma coisa: Muitas vezes se pensa no “gosto bom” de brincadeiras, por exemplo, mas sem pensar se os treinandos realmente querem estar ali.

 

Se o funcionário tiver interesse, ele vai querer aprender mais – mesmo que seja sozinho. E isso não é simplesmente uma “obviedade” – há artigos acadêmicos sobre o assunto, que mostram a relação entre interesse e realização.

Mas na prática, os programas de treinamento não pensam nisso

Já viu a dificuldade em agendar um treinamento – mesmo que seja apenas por meia hora? Normalmente, as pessoas são convocadas para eventos de treinamento – e entram na sala contrariadas, com aquela expressão de “estou aqui porque sou obrigado”. Depois da aula, se alguma atividade atrasa, a explicação muitas vezes é “pois é, hoje tivemos treinamento…”

Sem tempo para treinamentoVocê acha mesmo que as pessoas estão assim tão ocupadas? Pense bem: Os mesmos que dizem não ter tempo para o treinamento gastam um tempão conversando antes e depois das reuniões, ou uns com os outros do Setor – sobre trabalho! Não é uma questão de usar o tempo de folga – a verdade é que todos nós devotamos tempo às coisas em que estamos interessados. Se o funcionário estiver realmente interessado no treinamento, ele vai arranjar tempo.

 

Interesse pessoal x situacional

Interesse pessoal é o mais fácil – é aquilo que cada um gosta. Os livros que eu leio, os sites que procuro na internet – são os temas nos quais tenho interesse.

Por outro lado, o interesse situacional vem da interação com o ambiente. E é aí que as empresas deixam de aproveitar uma oportunidade muito grande.

Quem estuda para usar tem muito mais interesse do que quem estuda para fazer uma prova

É possível criar interesse? Até uma criança, com o tempo, aceita tomar um remédio de gosto ruim, se ficar convencida dos benefícios. É claro que o treinamento não precisa – nem deveria – ter “gosto ruim”, mas o ponto é: é possível criar interesse.

Quer algumas dicas para criar interesse?

Esse assunto faz parte de uma das aulas do Curso Criação e Manutenção de Programas de Treinamento, da Trilia. Esse é um Curso gratuito e sem compromisso, criado para ajudar empresas a implantarem e/ou melhorarem programas de treinamento efetivos.

Conheça os Cursos Gratuitos da Trilia

Responda nossa pesquisa e concorra a até dois Cursos por mês!

Visite nossa páginae inscreva-se – estamos sempre preparando novidades!

Curta nossa página no Facebook, para receber os artigos que publicamos semanalmente no blog.

Conheça nosso canal no YouTube e veja o que já estamos fazendo.

Um abraço,

Ricardo Monteiro – equipe Trilia

contribua com um comentário

Que tal um belo desconto nos cursos da trilia?
Responda o formulário

Workshop de Angular

Receba mais informações e participe deste evento!
ENVIAR
close-link